Embalada no décimo aniversário do Malmequer e numa das tendências de Instagram Stories que andam por aí, resolvi partilhar convosco 10 coisas que, provavelmente, não saberão sobre mim. Curiosidades que nunca partilhei ao longo destes 10 anos mas que já merecem saber… Afinal, já nos conhecemos há uma década e eu precisava de uma justificação para publicar estas fotos maravilhosas que a Kat me tirou!

#1. // Espirro sempre que como pastilhas de menta.
Perguntem-me porque é que isto acontece? Não faço a mais pequena ideia… Mas sempre que coloco uma pastilha de menta na boca, é certinho que vou espirrar. O mesmo acontece com rebuçados de menta!

#2. // Tenho dez tatuagens.
Uma em cada pé, uma em cada perna, uma nas costelas e cinco nos braços. E não, não pretendo ficar por aqui, pelo contrário… Ainda quero acrescentar mais umas quantas à minha lista!

#3. // Odeio, odeio, odeio gafanhotos.
Mas um ódio que me faz fugir mal vejo um. Não vos consigo explicar o porquê do ódio e da fobia mas… São nojentos e saltam… Blergh!

#4. // E odeio também fogo de artifício.
Não era tão melhor se o fogo de artifício fosse só o efeito de luzes? Sem som… Adorava poder ter um botão de mute, especialmente na passagem de ano. Ficar a ver das janelas, mas sem ouvir aquele estrondo horríveis. Era tão melhor.

#5. // Adoro astrologia.
E é comum perguntar os signos às pessoas com quem me vou cruzando pela vida. Ou perguntar a data de nascimento e pensar na minha cabeça a que signo aquilo equivale. Eu sou gémeos, com o meu ascendente em leão e a lua em caranguejo. Há por aí alguém que entenda a confusão de pessoa que isto faz?

#6. // Acredito que vivi em Nova Iorque noutra vida.
Sim, além da astrologia, também acredito nestas coisas. E acho seriamente que vivi naquela cidade – por vários motivos que me fazem acreditar nisso. Até o meu sotaque e o meu domínio no inglês!

#7. // Sofro de ansiedade.
É a doença da nossa geração, eu sei. Mas infelizmente, também eu sou daquelas pessoas que tem crises de ansiedade e ataques de pânico totalmente incontroláveis. É uma merda, é. Mas a saúde mental já não deve ser tabu. Acham que este seria um tema que vos interessaria ver aqui pelo Malmequer?

#8. // Sou uma esponja musical.
Ou uma jukebox, como lhe quiserem chamar. Mostrem-me uma música uma vez e é altamente provável que, no final, eu já tenha decorado o refrão. Deixem-me ouvir mais umas duas, três vezes e já saberei a música de cor. É uma bênção e não entendo porque é quem anda de carro comigo não fica feliz… Têm concertos constantes à borla! E de qualquer tipo de música…

#9. // Ouço qualquer estilo de música, mas nada me faz mais feliz do que um bom hardcore!
Pop, hip-hop, r&b, rock… U name it. Encontram de tudo na minha playlist porque eu, realmente, ouço de tudo. Mas quem olha para mim nunca diria que eu amo tudo quando é hardcore, punk, rock pesado. Cresci a ir a concertos de punk e ska e há uma veia rebelde em mim que adora os beats mais acelerados, as guitarradas profundas e os berros que mal se entendem. Adoro!

#10. // Fiz dois anos de escola num só.
E fui bully… Quando estava na primeira classe! ahaha Entrei para a escola primária a saber ler e escrever. E achava inadmissível os meus colegas serem tão lentos a ler e não saberem que 2+3=5. Resultado: gritava com eles, dava-lhes belinhas na testa e dizia que eram burros. Em dezembro os meus pais foram chamados para serem avisados que eu tinha que passar para o segundo ano – para aprender e deixar os outros aprender! Quando voltei do natal, já estava na segunda classe – e já não era bully!

Partilhem comigo: quais são as coisas mais curiosas sobre vocês e que ninguém saberá?

CategoriesSem categoria
  1. Mariana says:

    Seria interessante se você falasse sobre ansiedade. Também sofro e faço tratamento. Acredito que há muita gente hoje que passa por isso!
    Eu também não poderia imaginar que você também está passando por isso, pois sempre vejo você tão tranquila aqui no blog. Mas como você disse, a rotina da vida moderna é um campo fértil para o desenvolvimento de ansiedade.
    Além de poder ajudar pessoas que sofrem do transtorno a identificar a doença ou a se aceitar mais, seria bom um post a respeito para quebrar esteriótipos e preconceitos que algumas pessoas que não sofrem de ansiedade ou pânico -talvez ainda não- pudessem supera-los!
    Super apoio uma futura materia sobre isso! 👍🏻

  2. Eduarda says:

    Are you asparagus? Cause I’m a caprisun! Ahaha! Não consigo não pensar nisso agora. Adoro saber que somos tão parecidas. Também sou uma living jukebox e estou sempre a pensar no espaço que teria no meu cérebro se não soubesse tanta música. Xx

    http://www.i-life-u.com

  3. Micaela says:

    Gostei imenso do post, quero mais :)! As fotos ficaram estupendas, estás duplamente de parabéns e a Kat também.
    Percebo o teu amor por Nova Iorque 😉 e também sofro de ansiedade e ataques de pânico desde os 11 anos.
    Beijinhos e obrigada pelo passatempo.

  4. Inês says:

    Parabéns Mafalda, 10 anos de blog é resultado de muita persistência 🙂
    “Mas a saúde mental já não deve ser tabu. Acham que este seria um tema que vos interessaria ver aqui pelo Malmequer?” Sim! Infelizmente, também sofro bastante com isso e gosto sempre de ler diferentes perspetivas.

  5. Mafalda! Bastou ler sou louca por astrologia e a minha cabeça disparou para vir deixar um comentário “espera eu também faço aquilo, eu também pergunto os signos e depois começo a fazer assunções sobre as características da pessoa” ahaha adoro adoro adoro astrologia mas num prisma mais de comportamento humano e características pessoais, há quem me chame louca por achar que realmente os signos podem falar e refletir muito mais sobre a pessoa do que o que se julga por aí.

    Aqui tens uma Balança com ascendente em Escorpião e lua em Caranguejo assim como tu ahaha

    Beijinhos

Comments are closed.