Nem acredito que mais um ano já passou… Lembro-me como se tivesse sido ontem da surpresa que os meus amigos me fizeram e de pensar que estava a ser um começo de ano maravilhoso. E, aqui estou eu, a comemorar outro aniversário como se o tempo não tivesse passado.

Estava certa – o 25º ano foi um dos melhores que vivi. Aprendi a viver com as pessoas certas e a não me incomodar por perder as pessoas erradas. Passei a conhecer mais dois continentes além da Europa, viajei a sério e de coração cheio, recomecei um novo curso e decidi que a minha vida ia levar um novo rumo. Retornei as idas ao ginásio, melhorei a minha alimentação e acredito que não ficará por aqui. Posso dizer que risquei a maioria das minhas resoluções deste ano!

E como acredito que a nossa felicidade somos nós que a construímos, para os 26 anos quero:

1. Mudar de carreira – Adoro a psicologia e vivia para ajudar a educar crianças. Mas como o país onde estou não me deixa trabalhar em pleno nisso, vou pôr em prática tudo o que tenho aprendido nos últimos anos. E acredito que Portugal perde uma boa psicóloga, mas ganhará uma óptima profissional na minha nova aventura.

2. Continuar a viajar – O ano passado teve três viagens maravilhosas – Paris, Bogotá, Marraquexe e Casablanca. Mas não voltei a Londres nem fui a Berlim, como o planeado. Quero que seja este ano. Talvez risque a Croácia da lista ou até Nova Iorque… Seja perto ou longe, não há nada que me faça mais feliz que viajar.

3. Manter-me no rumo saudável – Passar a ter PT e acompanhamento nutricional. Já estou a treinar entre 3 a 5 vezes por semana mas há resultados que ainda não chegam. Preciso de mais – treino mais intensivo e uma alimentação direccionada para mim. Estou no bom caminho, mas ainda preciso de mais ajuda para chegar à meta que quero.

4. Apostar em mim – Seja num novo corte de cabelo, numa nova tatuagem, no arriscar de usar uns saltos altos… Com o passar do tempo tenho crescido e percebi que não ninguém é mais importante que eu mesma. E, aos poucos, estas apostas que faço em mim mesma só me deixam melhor ainda. Não há nada mais agradável que uma mulher confiante.

5. Perder o medo – É da praxe esta… Passem os anos que passarem, há algo que continua a ser adiado de ano para ano. Será que é desta…?

No fundo, só quero que os 26 anos sejam tão bons quanto os 25. Se assim for, ficarei profundamente feliz. E que vocês continuem desse lado, diariamente.