Como vos mostrei aqui, quando aliamos a fotografia às novas tecnologias, a curiosidade em mim aumenta imenso! E quando a Diana me mostrou este artigo do P3, tinha de vos mostrar quais a cinco apps fotográficas que o jornal Público mais usou em 2011.

Camera + – só me rendi a esta há bem pouco tempo mas já passou a ser a minha app oficial para fotografar. Já nem uso a que vem com o iPhone. Como é dito no artigo têm óptimos efeitos e conseguimos criar óptimas fotografias. Vale bem a pena! 
Tiltshift Generator – esta é uma das apps que eu desconhecia. Mas parece ser uma espécie de Photoshop. Tem o essencial para manipular as fotos e, do pouco que lhe mexi, parece ser o suficiente. Para o Público, esta seria a app a guardar se pudéssemos ficar apenas com uma. A explorar. 
Instagram – acho que esta dispensa apresentações. Foi eleita a app do ano pela Apple e o certo é que toda gente a adora! Passa pela partilha e edição de fotos, quase como uma rede social. E é certo que toda gente a tem. É impossível resistir-lhe. E é gratuita! 
Hipstamatic – é das minhas apps favoritas! Todo o aspecto vintage e cru que confere às fotos, dá resultados muito bonitos. Além de que tem um design girissimo, permitindo escolher qual a máquina e filme que queremos usar. E tal como o Instagram, é das mais usadas pelos donos do iPhone.
Cross Process – tal como a Tiltshift Generator, também desconhecia esta aplicação. E também já me rendi. É vista pelo Público como a “avó das apps”, pelos resultados que apresenta. Para quem gosta de fotos mais saturadas e do processo cruzado que podemos pedir nas revelações analógicas, esta app vale a pena. E é mais uma com um design girissimo, ao género de polaroid. Tira a foto e a imagem vai aparecendo gradualmente, mesmo como uma foto instantânea. 
Podia falar-vos de muito mais apps de fotografia que são da minha eleição. Mas concordo que estas são muito boas e altamente viciantes!