A um mês do meu aniversário decidi que estava na altura de fazer a “derradeira” dieta. E digo derradeira porque não sou pessoa de fazer dietas – apesar de não ser propriamente magra. No entanto, procuro manter uma alimentação o mais saudável possível, tentando sempre evitar porcarias – fritos, açúcares, demasiados conservantes, etc.
Desde que voltei de Itália que entrei numa luta com o peso que trouxe a mais e é certo que já perdi mais até do que trouxe. Mas ainda assim, há mais um bocadinho a perder e a tonificar.
Muito influenciada pela Maria e pelo seu detox, comprei o The 3-Day Cleanse e andava bastante entusiasmada para, também eu, experimentar um detox. No entanto, a saúde neste momento não me permite um detox. Mas o bom deste livro é que ajuda-nos a descobrir imensas coisas sobre a rotina e a alimentação que fazemos, dando-nos até receitas óptimas que podemos pôr em prática todos os dias – e não só quando estamos em fase detox! 
Entre sopas, pratos principais, sumos, brunches e saladas, estou desejosa de experimentar a salada de romã e abacate. Parece meio estranho não é? Mas é só combinar alface, abacate, romã e um pouco de cebola. E temperar tudo com um vinagrete preparado em casa!
Mas não é preciso irmos tão longe. Basta controlar as refeições que fazemos. Nunca sair de casa de estômago vazio. Voltei a comprar apenas pão de sementes e o pequeno almoço deixou de ter torradas. Uma fatia de pão com uma fatia de queijo chega-me perfeitamente… Se tiver tempo, acompanho com um batido feito no momento. Quando estou com pressa, um simples copo de leite chega-me bem.
Procuro fazer um almoço mais saudável e não cortar tanto aqui. O facto de não comer praticamente carne alguma ajuda… Consigo fazer refeições mais leves sem deixar qualquer parte fundamental de fora. 
Já ao jantar, aí sim, procuro ter refeições mais leves. Opto por uma salada ou por um prato de sopa.
Durante o dia vou matando o bichinho com bolachas integrais, fruta e chá. Uma das melhores dicas que já me deram foi beber chá ou água quando sentimos que temos fome. Às vezes é só um ratinho que sentimos entre as refeições e a água pode ser o suficiente para preencher essa fome até à próxima refeição, dando-nos logo a sensação de estamos saciadas. 
Deixo-vos uma última dica que retirei do livro: é importante saber combinar e dosear alimentos e há formas muito simples de o fazer. Vejam:
Proteína (ex: carne) + Hidratos de carbono (ex: batata) = má combinação.
Vegetais (ex: cenouras) + Proteína (ex: atum) OU Hidratos de carbono (ex: batata) = bom.
Hidratos de carbono (ex: lentilhas) + Gordura (ex: azeite) = bom.
Vegetais pouco calóricos (ex: brócolos) + Hidratos de carbono (ex: arroz) OU Proteína (ex: feijão) = excelente!
Evitar misturar frutas de diferentes categorias  (ácidas, sub-ácidas, doces ou melões) e comer tudo sem qualquer adição de açúcares! 
Se aliar tudo isto ao exercício, melhor ainda. E mesmo quem não tem tempo para ginásios, há pequenas coisas que podemos treinar durante o dia. Deixar o carro um bocadinho mais longe para nos obrigar a caminhar mais, trocar o elevador pelas escadas, fazer caminhos mais longos ou subir as escadas sem pousar o calcanhar. São pequenas coisas que, se nos habituarmos a fazer, nem custam! 
Agora é só motivação. E meter na cabeça que este mês irá ser mais saudável que qualquer outro!