Acho que, pelo meu Instagram, já deu para perceber que eu ando mais dedicada a séries e a filmes. E isto é uma das coisas que eu decidi que teria que mudar na minha vida quando, depois da pergunta de uma amiga, percebi que não via uma série… literalmente há anos. Além da mudança na minha carreira – que inevitavelmente me tem trazido mais tempo para mim – percebi que preciso mesmo de ter mais tempo dedicado a fazer o que eu gosto e que me dá algum prazer quando desligamos do trabalho.

Além disso, precisava de, quase à força, perceber que tempo no sofá não é tempo de preguiça. Pelo contrário – às vezes é um tempo necessário. O tempo para o nosso corpo desligar e relaxar. E eu confesso que me condenava muito sempre que ficava no sofá apenas a ver uma série ou um filme. Foi preciso me mostrarem o contrário para eu perceber que sim: precisamos deste tempo para nós.

6 série da Netflix que (já) vi este ano. - Malmequer

Posto isto, tenho que assumir. Tenho devorado séries! E porquê? Porque eu vejo séries (ou YouTube, na verdade) a fazer tudo: enquanto estou sentada no sofá, à noite enquanto cozinho, de manhã enquanto tomo o pequeno-almoço e me maquilho, antes de adormecer…. O que acaba com que eu até consiga encaixar episódios facilmente – principalmente se forem de 30 minutos.

Daí ter questionado pelo meu Instagram que séries me recomendavam. E hoje partilho convosco as últimas que vi. Não só as minhas favoritas, mas a minha opinião sobre (algumas d’) as últimas séries que vi.

1

You

No Natal, resolvi fazer uma maratona de Gossip Girl. Gosto de rever algumas das minhas séries favoritas e volto, muitas vezes, a GG. E só interrompi para ver outra série do Penn. Don’t get me wrong, mas sempre o achei o maior gatinho e a You estava com demasiado buzz para não ver.

Sem spoilers, o plot baseia-se num rapaz que se torna stalker de uma rapariga que conhece. É claro que a história desenrola e, quando damos por nós, já estamos apaixonadas por um total psicopata. Porque sim, a história prende muito facilmente – de tal forma que devorei a série em duas noites.

Mas se está boa…? Não consigo decidir-me! Está (muito) bem produzida, isso sim. Mas tem várias pontas soltas pelo caminho que, mesmo com segunda série, não sei se serão resolvidas. Ainda assim, super worth the watch!

2

Sex Education

Demorei a agarrar nesta série… Tenho alguns problemas com séries britânicas (serei sempre team sotaque americano, desculpem!)  e acho que isso me retraiu um pouco. Mas assim que fiquei presa não parei mais. São 8 episódios que vi assim de seguida.

Uma série de adolescentes em que a mãe da personagem principal é uma terapeuta sexual. No meio de todas as aventuras típicas de liceu, o Otis não consegue bem explorar a sua sexualidade, mas acaba por se tornar… o terapeuta da escola.
Além de super divertida, a série está muito bem feita e os atores são geniais. Esta sim, vale a pena ver – até se não forem fãs de séries de adolescentes!

3

Friends From College

Comecei a ver esta série por recomendação de muitas seguidoras – e da Eduarda, que me falava nela há meses.

Com a Robin, de How I Met You Mother, esta série centra-se na vida de um grupo de amigos que se conhece desde a época da faculdade. E não posso contar mais que isto senão entro no espólio de spoilers. Já conta com duas temporadas, ambas com 8 episódios de 30 minutos, que devorei em três noites! Anseio pela terceira temporada, confesso!
É genuinamente divertida e dei por mim a gargalhar como há muito não o fazia com uma série. Tenho-a recomendado a toda gente e não podia ficar fora desta lista.

6 série da Netflix que (já) vi este ano. - Malmequer

4

The Good Place

Comecei a ver esta série há uns meses, por recomendação de uma amiga e depois de me aparecer tantas vezes nas sugestões da Netflix. Com a fofa da Kristen Bell como personagem principal (e a Jameela Jamil que eu adoro!), a primeira temporada é de chorar a rir.
A série foca-se num grupo de pessoas que morreram e chegaram ao sítio bom no depois da morte. Assume-se que há um sítio bom e um sítio mau e que elas fizeram algo de muito bom na vida para lá chegarem. O problema é que a Eleanor, a personagem principal, não fez nada em vida para que lhe pudesse ser atribuído um espaço no sítio bom e percebe-o muito cedo.

A primeira temporada desenrola-se nesta premissa, enquanto ela percebe que tudo o que faz de errado tem consequências no Good Place. E sem querer dar spoilers, o final da temporada faz com que não tenha conseguido ir além do terceiro episódio da segunda. Tornou-se chata e aborrecida. Ainda não consegui voltar a pegar nela mas… estou a ganhar coragem! 

5

Baby

Foi a que comecei a ver depois das vossas recomendações. Queria algo leve, meio dentro do género de teenagers e que não fosse chata! Aproveitei o facto de ser falada em italiano para treinar os meus dotes (super enferrujados) da língua e vi-a assim num fim-de-semana.
Mais uma vez, um grupo de adolescentes, mas, desta vez, com o foco nas problemáticas de duas amigas de um colégio. Claro que envolve todas as pessoas que as rodeiam, principalmente como estas acabam por ser afetadas pelas decisões que ambas tomam.

Se é uma série imperdível? Não. Se é gira para uma série do género? É. Se me agarrou até ao fim? Hell yeah! E deu para matar saudades daquela língua.

6

Russian Doll

Por último, esta foi a série que comecei a ver no passado fim-de-semana, depois de me aparecer tantas vezes nas recomendações da Netflix. Aqui, a personagem principal morre consecutivamente depois da sua festa de 36 anos. De formas diferentes, em momentos diferentes, mas está, constantemente, a viver o dia da sua morte, sempre que morre.

Vou apenas no terceiro episódio e ainda não há muito mais que vos possa contar. Mas parece-me promissora!

Todas estas séries estão na disponíveis na Netflix. E partilhem comigo: há algo mais que eu precise de adicionar à minha lista? Neste momento quero pegar em coisas que tenho penduradas, tipo Parks & Recreation, Santa Clarita Diet ou até This Is Us. Mas bring it on!