Se o primeiro rolo da Zenit foi uma surpresa boa, já o primeiro da nova menina, a minha Olympus Trip 35, não teve o mesmo efeito. Não foram muitas as fotos (além destas) que se aproveitaram, muito em parte por culpa minha. Fotografar com analógico não é o mesmo que fotografar com digital, em que apagamos e fotografamos novamente. Mas confesso que este encanto é parte do que me faz gostar tanto do analógico. Nunca sabemos quão bom será o resultado. E neste caso, saiu-me o tiro pela culatra. 
E amantes do analógico, já participaram no projecto I’m Not Perfect, da Maria e do Filipe, que vos falei anteriormente? Sei que há muito talento por aí, vá!