Normalmente, as minhas fotos de viagem demorariam mais tempo a serem publicadas no Malmequer. No entanto, a minha analógica Zenit traiu-me durante a viagem e fiquei apenas pela Reflex. Por isso, desta vez, todas as fotografias que irão ilustrar a cidade de Amesterdão são digitais, e não analógicas.
Bem vindos à cidade de Amesterdão!
À parte do mundo leviano das coffeshops e da Red Light District, existe uma cidade recheada de bicicletas, de canais e de uma arquitectura admirável. A visita pela cidade foi feita em pouco tempo, apenas um dia e meio, por isso, trago-vos um pequeno roteiro do que achei mais importante visitar nesta visita relâmpago.
De qualquer forma, aconselho-vos a gastarem um pouco e comprarem o IAmsterdam Card, mesmo que a estadia seja curta. Podem comprar a versão de 24h, de 48h ou de 72h, com acesso gratuito a muitos museus, outros com 25% de desconto, descontos em lojas e cafés e com direito a todos os transportes públicos da cidade de forma gratuita. É-vos dado ainda um mapa gratuito e a revista A-mag, com novidades sobre a cidade.
A estação central da cidade está muito bem localizada e conseguem chegar a qualquer lado a partir dela. Têm o metro, o tram e os autocarros mesmo à volta da mesma, com uma regularidade (e pontualidade!) exímias. 
 
 
O primeiro local a visitar foi o Nemo Science Center, pela proximidade à estação de comboios. É um dos museus com entrada gratuita graças ao cartão IAmsterdam. Estão a ver o nosso Pavilhão do Conhecimento? É algo nesse género… Formado por 5 pisos diferentes de experiências e de explicações cientificas de como o nosso corpo e mente funcionam! Vale a pena visitar pela diversão e pela inner child que vamos buscar!
Oosterdok, 2
1011 VX Amsterdam

Um dos museus que já ia definido como sendo visita obrigatória era o Foam. Este é um museu internacional de fotografia que reúne trabalhos magníficos e aos quais qualquer pessoa se pode “candidatar”. É, também, de entrada gratuita, graças ao IAmsterdam Card e qualquer amante de fotografia irá delirar enquanto o visita. Podem ainda comprar antigas publicações da revista trimestral da Foam, bem como postais e outros souvenirs dedicados à fotografia. 
Keizersgracht 609
1017 DS Amsterdam
Outro ponto de paragem obrigatória é o Van Gogh Museum. Neste encontram a maior colecção das obras do autor, passando por todas as fases da sua vida e da sua arte. Mesmo que não seja o vosso tipo favorito de arte, vale bem a pena conhecer o espaço. São 4 pisos de arte com a possibilidade de acompanharem toda a visita com uma parte audio. Um plus? É dos poucos locais da cidade onde encontrei rede wifi disponível e wc gratuito – na maioria dos locais, mesmo quando consomem algo, pedem sempre 0,50€ para utilização das casas de banho. 
Paulus Potterstraat 7
1071 CX Amsterdam

Mesmo ao lado do museu do Van Gogh, na zona do Museumplein, encontram as tão conhecidas IAmsterdam Letter onde toda gente quer tirar uma fotografia. Por muito que esperasse, nunca iria conseguir fazer uma fotografia sem ninguém, para vos mostrar, mas acho que conseguem perceber a ideia… Situa-se numa praça ao lado de um jardim óptimo para passar um pouco da tarde, nas traseiras do Rijksmuseum.
As Nine Streets e a zona de Spui também não podem faltar. São as zonas com as melhores lojas, com os espaços mais giros e que vale a pena visitar a pé, de mapa na mão sem um rumo bem certo. Sobre estas zonas, falar-vos-ei melhor no próximo post sobre a cidade.
Não esquecer também de visitar o Damsquare, uma das principais praças da cidade. É nesta que podem  encontrar o Madame Tussauds mas que também podem assistir aos imensos espectáculos de rua, apanhar o trem para várias zonas da cidade e ver imensa gente gira!
Uma das vantagens de ir à Holanda em plena primavera é a diversidade de flores que por lá encontram! Não podem perder o Mercado das Flores, onde uma das laterais de um canal está recheada de bancadas com todo o tipo de flores e sementes. É um conjunto de cores e de aromas que nos faz perder uma tarde inteira por ali!
E claro, estando na Holanda, não podem deixar de provar os fritos da cidade, principalmente as tão famosas batatas fritas do Manneken Pis Frites. São as melhores da cidade, onde podem escolher entre três tamanhos e acompanhar com um dos imensos molhos que têm. E acreditem, um pacote pequeno chega perfeitamente… Diz-vos quem teve mais olhos que barriga e deitou imensas batatas fora porque quis um pacote médio…!

Por último, aproveitem o final do dia para dar uma Volta de Barco nos Canais. Também estes estão incluídos no cartão da cidade e são óptimos para terminar um dia de sightseeing. Descansam as pernas e, mesmo assim, ainda estão a conhecer a cidade! Podem partir de perto da estação central ou perto do museu do Van Gogh. 

Quanto ao conhecer os pontos típicos da cidade, foram alguns os que ficaram por conhecer. O Vondelpark está um pouco fora de mão, e confesso que preferi passear a passar a tarde num jardim. Faltou ainda toda a rua Prinsengracht onde encontram a Casa da Anne Frank, o Museu das Tulipas e uma visita à uma Casa no Canal. É uma rua extensa que só visitei no último dia. E como a Casa da Anne Frank não está incluída no cartão da cidade, não a consegui encontrar no mapa. O tempo escasseava e teve de ficar para a próxima! 


Depois de um post extenso – ainda aí estão? – espero que fiquem com uma ideia do que é conhecer Amesterdão. Na segunda parte deste conjunto de posts irei mostrar-vos algumas lojas que acho que vale muito a pena conhecer e que conquistaram o meu coração! Já os poucos souvenirs, irão ficar para um terceiro post. Curiosos?!