Nas minhas resoluções de aniversário, há uma que tem sido constante ao longo dos anos: perder o medo. E medo de quê? Isso mesmo – de conduzir! Nunca o referi aqui pelo Malmequer mas a verdade é que tenho carta há (quase) sete anos e há seis que não conduzo. 
Por isso, quando a Seat me convidou para conduzir este Mii by Mango, senti-me ainda mais impotente… Até que percebemos que podia ser o meu namorado a conduzi-lo

É um carro pensado para a mulher citadina com várias funcionalidades que as mulheres valorizam: é elegante, pequenino, com detalhes bem femininos (como um gancho para a mala perto do porta-luvas) e tecto panorâmico.



Mas será que eles não o podem conduzir? Claro que podem. Na ida até à Ericeira, foi ele que levou o carro e só tenho bom feedback.

Na visão masculina, é um carro bem levezinho, fácil de estacionar e que se conduz facilmente numa perspectiva citadina, diária – mas não o utilizaria nas viagens de auto-estrada que faz regularmente. Além disso – segundo ele – por ser mais leve, os consumos de combustível são mais baixos que o normal. E achou-o mais bonito do que os típicos carros femininos, o que é óptimo certo?

A mim, bastou-me o lugar de pendura para ficar deliciada com o carro! De tal forma que até o enchi com as minhas coisas – as práticas Butterfly Twists, que cabem dobradinhas no porta-luvas, são um bom exemplo disso! 
Uma coisa vos digo: apesar do medo, arrependi-me de não ter pegado no carro…! 
Agradecimento especial à Seat.