Faz hoje sete semanas que regressei de Nova Iorque – sim, estou a contá-las assim. E a verdade é que ainda não vos mostrei muito do que vivi por lá. Honestamente, apenas por um motivo: não consigo.

Digo o mesmo sempre que me cruzo com alguém que me fala da viagem: estou numa ressaca imensa, que creio que será para a vida. Nunca uma cidade me consumiu tanto e me apaixonou tanto, ao mesmo tempo. A sensação de estar lá desde sempre e de fazer parte de tudo aquilo, que deixou uma enorme (gigante!) vontade de regressar e, quem sabe, ficar.

Custa-me muito ver as minhas fotos – daí a falta de posts sobre a viagem – e custa-me ver a cidade em filmes, em séries, em fotografias. That’s how bad I am

Finalmente revelei o meu diário analógico e chorei quando vi as fotos. Chorei de saudades e de felicidade por saber que consegui realizar um dos meus sonhos: conhecer Nova Iorque. E não me importo que seja ridículo… Porque até isto é imenso, naquela cidade.

Vou só assimilar isto mais um pouquinho com a promessa de que vos trago tudo sobre a cidade daqui a uns tempos… Setembro, talvez!