O

O que é grande, afinal?

Ontem aventurei-me na ida aos saldos. Queria um vestido específico e não o queria comprar online porque queria experimentá-lo. E aqui encontramos sempre muita confusão – e muito do que não queremos.

Na fila para pagar, deparo-me com uma conversa de duas amigas que me deixou – como sempre – desolada…
Amiga #1: “O macacão é o S mas tem que me servir… Não vou buscar o M! Olha aqueles calções de ganga, são giros!”
Amiga #2: “Sim, eu tenho. Mas é uma saia. Só que esse tamanho aí é tão grande que parecem uns calções! Isso é o quê, um L? Quem é que veste uma saia tão grande?”.

Eu. Eu visto uma saia L e, na verdade, não vejo o mal nisso. Nem compro roupa abaixo do meu tamanho porque não posso vestir um L. E se me sinto mal com o meu corpo? Sinto! E, por isso mesmo, inevitavelmente, saí da loja de olhos no chão e a pensar “porra, será que um L é assim um tamanho tão grande para uma saia?”. Não, não é. Tal como vestir o 40 não faz de nós gordas, como já vi outras bloggers a afirmarem por aí. 

Está mais do que na altura de deixarmos de ser tão críticas umas com as outras. Não é por vestir um S ou um 34 que faz de nós melhores pessoas, se depois criticamos e julgamos quem não consegue (ou não quer!) ser mais magra. Já chega de apregoarmos que a beleza está na magreza se abrimos a boca e achamos inadmissível que alguém tenha a coragem de usar uma saia L.

Eu ainda tenho um caminho longo pela frente e ainda há dias em que me deixo afectar por este tipo de comentários… Mas, vá lá girlsEstá na hora de sermos melhores umas com as outras. Apregoar o feminismo tem que vir de dentro – dentro da nossa comunidade feminina. Não vale querermos igualdade se nos tratamos tão mal.

CategoriesSem categoria
  1. Sunny says:

    Eu enfio-me num 34, mas não me sinto confortável por isso opto sempre pelo 36. Em blusas o meu numero é o S… mas levo sempre o M ou L porque acho que assenta melhor. O numero é só isso, um numero. Nós não somos números e não nos podem catalogar por aquilo que vestimos.
    Um beijinho e parabéns pelo post!!!

  2. Joana Sousa says:

    THANK YOU! Esse teu último parágrafo é ouro. Caramba. Não, não há nada de errado em vestir um L ou um 40. Não há nada de errado em vestir um XS, um S, ou um XXXL, desde que haja saúde – e mesmo aí, cada um sabe de si! Esta é uma guerra tão parva. Já para não falar dos próprios tamanhos. Na Zara sou um L, na Mango sou um S/M. lol

    Está na hora de termos juízo e coração. E um bocadinho de bom senso também. Levanta os olhos, porque o caminho faz-se a olhar para a frente e temos que o aproveitar enquanto não chegamos ao destino. És linda 🙂

    Jiji

  3. Marli Neves says:

    Esta publicação podia ter sido escrita por mim, até porque assisti a uma cena semelhante. Uma rapariga gritava, no provador, "Visto o 36, estou mesmo uma baleia. Que horror! Nem pensem que vou vestir mais do que o 36!". O que ia experimentar deixei no balcão e saí da loja.
    Acho sinceramente triste as pessoas não terem noção que ao dizer coisas do gênero podem estar a magoar outros. O que para elas é exagerado, para os outros é uma realidade e ninguém tem o direito de julgar o próximo.

  4. pat says:

    Finalmente alguém que fala do meu dilema de vida. Estou no processo de me adaptar a ginásios e a aprender a comer melhor. Não porque me odiava ver gordinha, mas porque não era saudável e, garanto que se fosse magra, ficava ainda menos bonita e interessante. Cada um é como é, da mesma forma que só cada um sabe porque é de uma determinada maneira. Da mesma forma que há pessoas gordas que têm dificuldade em emagrecer, há magras que não conseguem engordar. Para o bem e para o mal, somos o que conseguimos ser. Estou contigo! Vestir um L não faz de mim gorda. Mas, vestir um L daquela peça que adoro faz de mim uma mulher feliz. Há dias difíceis e há momentos mais susceptíveis, mas nós devemos ser felizes. Sem dramas. Obrigada, Mafalda.

  5. Comentários tão infelizes.. mas pelo simples facto de se recusarem a ir buscar o número certo já mostra a falta de noção Mafalda. Vamos é ser felizes e tentar ser o melhor de nós: por fora e por dentro <3

  6. Ana Batista says:

    Lembro-me de uma vez andar a passear numa loja a ver as novidades e 2 raparigas passarem por mim, diz uma para a outra: "- Olha este top tão giro! A amiga diz-lhe: – Já só há em L, nem morta eu visto um L, eu visto um M, quando vestir um L mato-me." Com um comentário destes tive a curiosidade de olhar e vi a rapariga que nunca vai vestir um L com uma camisola tão apertada que nem devia respirar, e pensei, como é que alguém é capaz de andar tão desconfortável e ficar mal visualmente só para não vestir um tamanho acima? Um beijinho e obrigada pelo post.
    Ana Batista

  7. Cris Laborim says:

    Tão verdade o que escreveste!! Sou daquelas pessoas que engorda e emagrasse muitas vezes à custa do stress e problemas da vida (neste momento é um desses momentos). De há dois anos para cá foram 10 kilos que engordei. Não me sentia mal, andava com a minha nova saia L e estava-se bem, porque eu me sentia bem. Mas se dentro da nossa própria casa ouvimos a nossa mãe e avó a dizer que estamos gordas não há como não nos afectar. Eu percebo-te e acho mesmo que isto tem que mudar URGENTEMENTE! Porque é que temos que rotular tudo? Não sei e não entendo. Mas quem fala de números de roupa, fala de escolhas da vida, como casar e ter filhos ou não o querer fazer, como orientações sexuais… etc etc. Acho que ainda temos muito caminho pela frente e há muito a fazer a começar como posts como este que podem fazer toda a diferença <3 obrigada por seres sempre tão sincera :*

  8. O problema também está em todas as imagens/notícias/blogs que consumimos. Levam-nos a acreditar que as pessoas têm de ter um certo aspecto para serem felizes/terem sucesso. Acho que se formos saudáveis e encontrarmos alguma forma de conforto, números são só números, não querem dizer nada. Tenho amigas que compravam dois números abaixo na esperança de emagrecerem e caberem nas peças. As peças acabavam por ficar penduradas no armário *para sempre*. As limitações dos outros não nos deviam preocupar 😉 beijo!

    http://www.i-life-u.com

  9. Joana Sá says:

    Não podia estar mais de acordo! Além disso, é bom lembrar que as lojas estão formatadas para um determinado público alvo… Na Zara entro num M, por vezes num S e num 36, e na Bershka e na Pull o 36 nem me passa do meio das coxas… claro! Mas não deixo de comprar nessas lojas só pelo tamanho ter de ser superior! Era o que faltava!! Aliás, as últimas peças que comprei por lá são 40 e tamanho M para cima!
    Go girl, és linda de qualquer jeito 😉

    Kiss kiss.*Jo
    Jo & Company Style

Comments are closed.