Vestido em bolinhas. - Malmequer
Vestido e Sapatos da Mango • Cesta da Shop Charlotte
Fotografias da Marcias View

Nestes saldos de verão, mais do que nunca, apostei em vestidos bem fluídos e frescos. Continua a ser a minha peça favorita no armário e the more, the merrier. Graças à Carlota e a este seu vestidinho lindo, andei a correr todas as lojas em busca de um vestido comprido com bolinhas brancas. E ei-lo, perdido na Mango dos Restauradores!

Pedi à Márcia para me ajudar a fazer estas fotos e sabia que, eventualmente, ia gostar de me ver com ele. Porque, à primeira, parece um vestido super simples e normalzinho, não é? Mas não… É muito mais do que isso.

Muito mais do que um vestido…

Embora seja super super cuuuute, o vestido, além da abertura da zona dos botões, tem duas rachas laterais que abrem mesmo por cima das pernas. E isso foi um motivo para me deixar a pensar, no provador da Mango, se haveria ou não de o trazer comigo. As minhas pernas são, sem dúvida, o que me deixa mais self conscious sobre o meu corpo e se as conseguir disfarçar, melhor ainda.

Mas isso não acontece aqui – não acontece com este vestido. Eu ando e as pernas “saem” fora do vestido. Vê-se que são maiores do que eu gostaria que fossem, vê-se a celulite e vê-se que não são firmes. Se isto me incomoda? Hell yeah! Mas o caminho para o amor-próprio passa por aí: por aceitar o que não gostamos. E, das duas uma: ou nos conformamos e aprendemos a amar, ou fazemos por mudar até chegar ao ponto que nos é confortável. E eu quero entrar nesta segunda opção.

Porque o amor próprio também é isto, aceitar que a mudança é possível. Tenho que aprender a gostar das minhas coxas roliças mas querer mudar até elas estarem como eu quero, também faz parte desse caminho. Desenganem-se se acham que esta onda de amor próprio é apenas acomodarmo-nos no nosso corpo porque não é. É aceitá-lo como ele é mas também fazer por melhorar se assim o desejarmos – mas sempre na nossa versão do que é melhor, não na versão da sociedade.

Comprá-lo foi, sem dúvida, um desafio para mim. Uma prova quase. Mas depois de passar dias a caminhar com ele, em casa, no meu corredor, ganhei coragem de o usar e de o fotografar. E guess what? Adoro-o, claro. Mesmo sabendo que vou sempre tentar fechar as aberturas que tem, tenho a certeza que o irei buscar muitas vezes ao armário!

CategoriesLooks
  1. Agna says:

    Adoro o teu blog. Fica-te super bem. O amor-próprio é isso mesmo… É sentirmos-nos bem, confortáveis e bonitas. E isso transparece. Bom trabalho. Beijinhos

  2. Liliana says:

    Olá Mafalda, queres saber? Tenho um vestido igual ao teu, umas pernas semelhantes e a mesma relação com elas. Vou-te dizer o que me ajuda a mim, pensar que este é o melhor e único corpo que tenho e que a partir daqui as coisas tendem a piorar com a idade. Ahaha és uma das minhas referências nos blogs portugueses porque tens um corpo semelhante ao meu e és super gira.

  3. Mafalda says:

    Liliana, penso imenso nisso do piorar com a idade. E não me ajuda nada na auto-estima. ahaha Mas, é fazer por isso. <3 <3
    Grande beijinho, querida!

  4. Rita da Nova says:

    Não costumo comentar blogs (que raio), mas caramba: ainda bem que esse vestido saiu dos corredores da tua casa e viu a luz do dia. Obrigada por este post ❤️

  5. sabes eu digo muitas vezes que amor-próprio não é andar aqui feliz e contente com estrelinhas a sair da testa a proclamar a aceitação corporal como se fosse uma qualquer evangelização. Ter amor-próprio também é ser capaz de admitir que não há mal nenhum em querer mudar, em querer procurar um novo caminho, desde que o façamos por nós. E ter a capacidade de trilhar este caminho de mudança que nem sempre é fácil e ter a resiliência de levantar a cabeça sempre que caímos é ter sem dúvida uma grande dose de amor-próprio. Por isso querida Mafalda força para o teu caminho de mudança <3

    P.S: estás cada dia mais bonita.

  6. Mafalda says:

    Minha querida, acho que é mesmo muito isso. Aceitar quando algo não nos faz feliz e querer mudar. Acho que isso também faz parte do amor, sempre. Do amor que só nós nos podemos dar a nós mesmas. <3

  7. Eu também o odeio as minhas pernas. Cada vez que olho para elas e vejo todos os defeitos que têm, tento lembrar-me de lhes agradecer também. De agradecer por me transportarem até onde preciso de ir, por aguentarem o meu peso e por estarem cá. 🙂

  8. Carina says:

    Gosto muito Mafalda! Tão bom ver uma blogger que partilha das mesmas inseguranças que todas nós e nos dá força para sermos mulheres felizes nesta sociedade tão estereotipada. By the way, gostei muito do artigo na Vogue!

  9. Mafalda says:

    Carina, que querida! A verdade é que qualquer influenciadora tem inseguranças. E quem passa a ideia de uma vida perfeita, de certeza que não o tem. E acredita: temos todas as mesmas inseguranças e todas temos poder para sermos mulheres cheias de garra e força! <3 Obrigada, muito mesmo!

  10. Mafalda says:

    Exatamente. Temos duas perninhas que nos levam onde queremos ir. São funcionais. Existem. Só temos que lhes agradecer… E se não gostamos de algo nelas, fazer por mudar. E havemos de conseguir! <3

Comments are closed.